Sexta, 24 de Setembro de 2021
22°

Alguma nebulosidade

Brasília - DF

Geral Pará

Pacientes em tratamento de câncer no Hospital Regional do Baixo Amazonas precisam de plaquetas

Pacientes crianças em tratamento contra leucemia, câncer, e que fazem terapias, como quimioterapia e radioterapia, estão entre os que mais necessitam da reposição contínua no organismo

04/08/2021 às 11h15
Por: Adenildo Souza Fonte: Secom Pará
Compartilhe:
Foto: Reprodução/Secom Pará
Foto: Reprodução/Secom Pará

Devido à dificuldade de doadores de sangue que se enquadrem no perfil específico para a produção de plaquetas, o Hemocentro Regional de Santarém (Hemopa), no oeste do Pará, está enfrentando problemas em atender a demanda de pacientes internados no Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA). 

O sangue é composto por glóbulos vermelhos, glóbulos brancos, plasma e plaquetas. As plaquetas ajudam no controle de sangramentos e parte delas pode ser doada sem causar prejuízo à saúde do doador.

Apesar de o Hemopa de Santarém fornecer componentes do sangue (hemácias, plasma e plaquetas) para toda a região do oeste do Pará, o HRBA é o principal consumidor destes produtos, com mais de 65% desta demanda. 

Segundo a Agência Transfusional do HRBA, atualmente o hospital está com 50 bolsas de plaquetas pendentes para atender pelo menos oito pacientes, mas a demanda é constante.

No Regional do Baixo Amazonas, pacientes, principalmente crianças que apresentam sangramentos devido à baixa contagem de plaquetas ocasionada por leucemia, câncer, quimioterapia, radioterapia, precisam realizar continuamente a reposição de plaquetas no organismo.

A unidade, pertencente ao Governo do Pará e gerenciada pela entidade filantrópica Pró-Saúde, realiza atendimento de média e alta complexidades, e é referência em Oncologia, Neurocirurgia, Ortopedia e Traumatologia e Terapia Renal Substitutiva para uma população estimada em mais de 1,3 milhão de pessoas, residentes em 30 municípios.

Procedimentos de média e alta complexidades realizados no hospital precisam de uma média de 450 transfusões/mês, principalmente pelos setores de oncologia e Unidades de Terapia Intensiva (UTIs).

“Depois de realizada a doação, as plaquetas têm uma vida útil de 5 dias. Essa duração baixa faz com que a necessidade da doação seja sempre constante, por isso, estamos pedindo a todos que se encaixam nos critérios, que procurem o Hemopa e doem sangue. Ajudem no tratamento de nossos pacientes. Com um gesto tão simples, você pode salvar várias vidas”, destaca a enfermeira da Agência Transfusional, Paula Maia.

Todos os tipos sanguíneos são aceitos, mas neste momento, a preferência é por doadores O, A e B.

Critérios para ser um doador de plaquetas:

- Já ser doador de sangue;

- Idade 16 a 69 anos;

- Documento oficial com foto;

- Estar saudável;

- Estar bem alimentado, evitando alimentos gordurosos 3 horas antes da doação;

- Ser do tipo sanguíneo O, A e B;

- Não ter feito tatuagem ou colocado piercing no último ano;

- Não estar fazendo o uso de Ácido Acetilsalicílico (AAS) ou anti-inflamatórios por 3 dias antes da doação;

- Não ter tido hepatite depois dos 10 anos de idade;

- Não ter recebido Transfusão no último ano;

- Candidatas mulheres: não ter engravidado;

 

Local de doação

Compareça ao Hemopa Santarém, de segunda-feira a quinta-feira, no horário de 7h às 13h. O órgão fica localizado na avenida Frei Vicente, bairro Aeroporto Velho.

Texto: Anna Karla Lima/ascom HRBA

Por Luana Laboissiere (SECOM)
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias